Manuela Moura Guedes Vs Marinho Pinto

sábado, 23 de maio de 2009

Este post também se podia chamar "Sr. Bastonário parte a boca rebenta com o botox de Manuela Moura Guedes". O que se passou foi que a entrevista no 'Jornal Nacional' se transformou numa troca de galhardetes entre a jornalista e o bastonário da Ordem dos Advogados.

O bastonário da Ordem dos Advogados acusou ontem a jornalista Manuela Moura Guedes de "envergonhar" a classe jornalística e de violar diariamente o seu código deontológico.


A jornalista chegou mesmo a dizer "O senhor é um bufo" por este denunciar na praça pública irregularidades cometidas pelos profissionais da ordem a que preside. Marinho Pinto não se ficou desatou a dizer aquilo que todos sabem e ninguém diz.

Visivelmente incomodado com a situação, o bastonário acusou a apresentadora do jornal da TVI de "fazer um espectáculo degradante" e de "passar uma má imagem dos profissionais" da estação televisiva. Foi na sequência desta troca de acusações que Marinho Pinto disse que Manuela Moura Guedes "devia ter vergonha de fazer o que faz como jornalista".

Dirigindo-se ainda aos responsáveis da TVI,o porta-voz dos advogados disse: "Quem a põe aqui devia ter vergonha. Esta estação merecia uma jornalista com mais respeito pelas regras deontológicas". No final, a jornalista respondeu: "É o seu julgamento, e a sua opinião é uma coisa que não me incomoda, como deve calcular".

Realmente acredito que não se sinta incomodada...

Esta pega de caras durou mais de 20 minutos mas aqui só temos 3! Segue-se então o vídeo...




Fontes:

Actualização:

Aqui está o resto de entrevista! Mais um link patrocinado pelo Bráulio.

12 comments :

Bráulio disse...

Eu vi eu vi!!! Eu estive lá! Lindo!!!

23 de maio de 2009 às 22:25  
john disse...

A jornalista chegou mesmo a dizer "O senhor é um bufo" por este denunciar na praça pública irregularidades cometidas pelos profissionais da ordem a que preside.Citação retirada de contexto. Para estas coisas também dá jeito conhecer o tema de que se está a falar.

24 de maio de 2009 às 02:23  
Bráulio disse...

@ john:

O Tito já adicionou link para a reportagem na integra. Podes ver a tourada que foi.

24 de maio de 2009 às 02:30  
john disse...

Eu sei a tourada que foi. Mas a história do bufo continua a estar retirada de contexto. Ela não usou essa expressão propriamente por acaso.

De resto, não consigo compreender o que leva tanta gente neste país a aplaudir uma péssima figura do representante máximo de uma classe profissional que acima de tudo se quer séria, e a ser tão activamente contra jornalismo intreventivo. A Manuela Moura Guedes é excessiva? É. Mas, pessoalmente, prefiro isso aos broches que a RTP e a SIC fazem.

24 de maio de 2009 às 13:58  
Bráulio disse...

@ john:

Nos outros países não sei, mas não gosto de como a informação é tratada e Portugal. Ponto.
Mas ela não tem razão nem motivo para tratar como trata os entrevistados dela.

E a troca de mimos entre ela e o PM já começa a chatear...

24 de maio de 2009 às 18:14  
john disse...

Nem eu gosto da forma como a informação é tratada em Portugal. Porque é tratada com medo. Basta ver as "entrevistas" ao PM na RTP, ou seguir com atenção os tempos de antena dedicados à propaganda governamental. Ou a forma como todas as polémicas são tratadas na generalidade dos meios de comunicação social.

Quanto ao resto, estás (estamos) mal habituados. Falta de cultura democrática. É verdade que ela é excessiva. É o estilo pessoal dela, com o qual não me identifico. Mas no que diz respeito ao jornalismo, prefiro que peque por excesso do que por defeito.

24 de maio de 2009 às 18:20  
john disse...

Mas se a questão é o "mau jornalismo" (ou o "jornalismo de sargeta", recorrendo à expressão do malhador Augusto Santos Silva), então sugiro que vejas este vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=9UEDXcyOMHE

E que compares a atitude de Pedro Santada Lopes com a atitude de Marinho Pinto.

24 de maio de 2009 às 18:28  
Bráulio disse...

@ john:

Outra pérola. :D
Lembro-me perfeitamente disso, embora não tenha visto em directo, no entanto não tenho opinião formada sobre o caso.

24 de maio de 2009 às 19:00  
Bráulio disse...

Quer dizer...

Não cabe na cabeça de ninguém interromper um directo desta forma.

Se estás a falar da forma (calma) como o Santana Lopes reagiu, pergunto eu, achas que ele conseguia dizer um décimo do que disse se fosse dirigido à Manuela Moura Guedes? Quantas vezes não foi ela chamada à atenção pelos seus entrevistados por não os deixar falar ou completar o raciocínio?
O que é certo é que no Jornal de 6ª quando há uma discussão mais acesa, os tons de voz têm tendência para subir.
:P

24 de maio de 2009 às 19:13  
john disse...

Tenho a certeza absoluta de que Santana Lopes - que não é de todo o palhaço do regime, como muitos o pintam - não só conseguiria dizer mais a Manuela Moura Guedes como conseguiria sair por cima, passe a expressão, da mesma forma.

Que os tons de voz subam é-me irrelevante. Que o representante máximo de uma classe profissional que acima de tudo se quer séria e bem formada entre naquele registo é inadmissível. Independentemente da jornalista.

Olha, se bem me lembro, já vi o Miguel Sousa Tavares (péssimo exemplo, eu sei) a fazer melhor com ela - e precisamente por causa das interrupções.

Que toda a gente agora aplauda alguém como Marinho Pinto só porque ele perdeu por completo a cabeça com uma jornalista que pelos vistos todos odeiam mas que todos vêem, é para mim um mistério. A verdade é que ninguém fala do que ali estava em causa - nem tu ou o Tito o mencionaram. O que ficou foi "o circo".

E assim continuamos, alegres e cantando :)

24 de maio de 2009 às 19:19  
Tito disse...

@john

Não percebi o que é que faltou! Explicar porque é que ela o chamou de bufo?

Se foi isso, pelo que percebi, no dia do advogado (não sei qual foi o dia ao certo) ele fez um discurso publico em que disse que haviam advogados em Portugal a ajudar os clientes a cometer crimes (Não Pode!) e outros a explorar os clientes (Também não é possível!).

No entender da MMG ele teria era que esconder essas situações do público. Por não o ter feito estava a ser um bufo.

Acho que foi qualquer coisa como isto!

24 de maio de 2009 às 21:04  
john disse...

Ainda te lembras dos silogismos, Tito? Aqui vai um para ti:

Premissa A: Marinho Pinto afirma que os procuradores que denunciaram pressões no caso Freeport são "bufos";
Premissa B: Marinho Pinto denuncia corrupção de advogados.
Conclusão: Marinho Pinto é "bufo".

Eu também iria expor esta contradição, sinceramente. Noutro tom, provavelmente, mas fá-lo-ia. Se os jornalistas não fazem as perguntas difíceis e exploram estas coisas, não sei quem o pode fazer.

24 de maio de 2009 às 23:15  

Enviar um comentário

Orignal Layout design by Pannasmontata | Layout Conversion by IcePicK